terça-feira, 24 de maio de 2011

Pastor Defende Casamento Gay

207410-6638-ga[1]
Depois de tantas polênmicas que envolvem o pastor Ricardo Gondim, finalmente mais uma que lhe, só que esta lhe custou a descontinuidade de colunista de uma das mais tradicionais revistas protestante do Brasil, a Revista Ultimato com sede em Viçosa no estado de Minas Gerais.
Há tempos o pastor vem se envolvendo em questões nada ortodoxas dentro do cristianismo protestante, recentemente em entrevista concedida a Gerson Freitas Jr da revista Carta Capital, intitulada de “O Pastor Herege”, Gondim diz que “Sou a favor. O Brasil é um país laico. Minhas convicções de fé não podem influenciar, tampouco atropelar o direito de outros”. E  solta outras perolas como “Deus nos Livre de um Brasil Evangélico” já citado por ele anteriormente em outro artigo seu, segue a entrevista. Aqui.
E depois de estas e outras já citadas pelo dito “Pastor Herege” a direção da Revista Ultimato resolveu dar um ultimato a sua coluna que mantinha na revista, pedindo que ele a descontinuasse coluna esta que ele vinha ecrevendo a quase vinte anos ininterruptos, leia a sua declaração. Clique Aqui.
Judas v 3.
“Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos”.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Pela União Civil : Igreja Americana se Recusa a Assinar Casamentos Héteros até Legalização do Casamento Gay.

Douglas Boulevard Christian Church, em Louisville, Kentucky

Igreja evangélica nos Estados Unidos, recusa-se a assinar licenças de casamentos na cidade de Louisville enquanto não houver leis mais flexíveis à causa gay no país.

Veja na integra a reportagem Aqui.

Conforme diz as Sagradas Escrituras abaixo, Versão ACF da Trinitariana.

11 Igualmente hão de surgir muitos falsos profetas, e enganarão a muitos;



12 e, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.



(Mateus 24:12)

domingo, 3 de abril de 2011

Antioquia, Uma Igreja Missionária

clip_image001 

Foto: Ruínas de Antioquia da Síria

Os cristãos judaicos helênicos foram dispersos de Jerusalém devido às constantes perseguições por eles sofridas após a morte de Estevam, e chegaram até a grande metrópole de Antioquia da Síria, até então estes cristãos só anunciara o evangelho a judeus, somente na grande cidade de Antioquia é que eles passaram a anunciar o evangelho a não Judeus e a ganhar muitos convertidos.

Em Antioquia foi organizada a primeira igreja missionária, a então chamada igreja de Antioquia, igreja organizada pelos judeus da Síria vindos da dispersão após a morte de Estevam, no meio deles e provavelmente vários dentre destes estava os dos fundadores desta igreja era um dos sete escolhidos para servir as mesas, Nicolau de Antioquia (Atos 6:5), mas não há relato dos nomes dos fundadores da igreja de Antioquia nas escrituras sagradas.

Devido o seu crescimento repentino levou a igreja de Jerusalém a enviar um de seus representantes para ver o que estava acontecendo, então o nome indicado foi o de Barnabé, só que Barnabé não tinha dúvidas do que estava acontecendo, então ele busca a ajuda de alguém já com certo conhecimento o seu amigo Saulo (Atos 11:25).

1.1 – Em Antioquia havia uma delegação sobrenatural (Uma boa igreja envia para o campo os seus melhores).

Em Antioquia estava os mais conhecidos e destacados mestres e profetas de sua época (Atos 13:1-3). A população cosmopolita de Antioquia se refletia nos membros de sua igreja e até mesmo em sua liderança, que consistia em cinco profetas e mestres que moravam na cidade¹. A igreja constituída a partir de Antioquia enviou os seus melhores a anunciar as boas novas a outras partes do oriente para evangelizar. Foi a partir de Antioquia que Paulo e Barnabé partiram para outras partes pregando as boas novas (Atos 13:4-5). O evangelho que eclodiu a partir da igreja de Antioquia, rompeu barreiras e chegaria até aos confins da terra (Atos 13:47).

1.2 – Características de uma igreja missionária

a) Evangelismo e Proclamação – A igreja em Jerusalém resolveu enviar a Barnabé para averiguar os fatos que estavam acontecendo em Antioquia (Atos 11: 19-24)

b) Edificação através do Ensino - (Atos 11.25-26) com proclamação em Antioquia atraiu Barnabé e ele desejou permanecer na cidade, procurou Paulo, pois era um homem de formação e teria condições de ensinar aos judeus e aos gregos convertidos. O v. 26 afirma que Paulo e Barnabé dedicaram muito tempo a instruir a igreja.

"Antes, santificai ao SENHOR Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós," (I Pedro 3: 15)

_____________________

¹ Stott, John R. W. O que levou a igreja em Antioquia a fazer Missões. Disponível em: http://www.monergismo.com/textos/missoes/missoes_stott.htm. Acesso em 07/03/2011. Grifo nosso.

c) Serviço e Solidariedade - Em (Atos11. 27-30) mostra a sensibilidade da Igreja para com os problemas dos cristãos de outros lugares. Sabendo que a Judéia passava por um período de fome, decidiram enviar donativos para os irmãos de Jerusalém.

d) Envio Missionário (Atos 13.1-3) conta que a Igreja de Antioquia era presidida por profetas e doutores: os profetas tinham a função de exortar e fortalecer os membros da igreja e os doutores tinham a responsabilidade de ensinar. Tudo indica que os cinco líderes da Igreja fossem pessoas cultas e bem formadas e que colocaram a disposição de Deus seus dons e talentos. Dois destes líderes serão enviados em missão, prioritariamente para evangelizar judeus dispersos por várias cidades. Após o Concílio de Jerusalém (cap. 15), os grupos de missionários enviados pela Igreja de Antioquia vão também em busca dos gentios.

Conclusão

Por pessoas desconhecidas foi fundada a igreja em Antioquia da Síria, nomes que nem se quer são mencionados, Por pessoas desconhecidas foram pela primeira vez os discípulos chamados “Cristão” (Atos 11:26), e por pessoas desconhecidas a igreja de Antioquia teve um grande papel em instruir e enviar afora aqueles que fizeram o evangelho de Cristo sair de Jerusalém para alcançar muitos ao redor do globo.

A Ele toda a gloria.

Bibliografia

Lazier, Josué Adam, da Quarta Região Eclesiástica – Disponível em: remne.metodista.org.br/download/33/IgrejadeAntioquia.pdf. Acesso em 07/03/2011

McDaniel, Geo. W – As igrejas do Novo Testamento – 5ª edição, Rio de Janeiro, Editora Juerp, 1989.

Marshall, I. Howward – Atos Introdução e Comentário – 1ª edição, São Paulo, Edições Vida Nova, 1982.

Revista Jovens e Adultos Dominical Professor 1º Trimestre de 2011 – Rio de Janeiro, Editora Betel, 2011.

 

 

Aula Ministrada na Escola Bíblica Dominical da Assembléia de Deus de Jardim Elba-SP, no dia 13 de Março de 2011.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

A Descida do Espírito Santo no dia Pentecostes em Atos (Cap. 2: 1-4).


Escrito por Lucas companheiro de Paulo entre as segunda e terceiras viagem.
O tema geral do livro é “O Senhor irá difundir a sua obra em Jerusalém, em toda Judéia e Samaria e até os confins da terra”
Embora muitos estudiosos têm destacado que na narrativa do livro de Atos, há em Lucas a intenção de defender o cristianismo ou demonstrar que este não representa uma ameaça ao Império Romano.
Pentecoste significa qüinquagésimo, a festa era celebrada cinqüenta dias após a Páscoa (que era a libertação do Egito), mas era conhecida também por Festas das Primícias ou Festa das Colheitas.
As primícias eram da colheita do trigo, cevada, uvas, figos, romãs, azeitonas e tamaras, produtos oriundos da terra de Israel.
Estas festas eram celebradas em gratidão a Deus por sua proteção e abundância de alimentos extraídos do solo de Israel e separadas as primícias como oferendas a Deus.

1° A Descida do Espirito Santo no Pentecostes (At 2:2)

“E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados”.

Quando Lucas usa a expressão “COMO DE UM VENTO”, ele esta usando uma simbologia de um acontecimento sobrenatural para dar ênfase da presença e o poder divino entre os galileus ali reunidos, era um poder em forma de dádiva, revestimento de poder entregue aos reunidos para anunciar as boas novas.

1.1 O Espirito Santo troxe uma expêriencia sobrenatural.

Provavelmente a grande maioria era de judeus, homens piedosos que visitavam Jerusalém para a Festa de Pentecostes. E a multidão ficava maravilhada e atonita com o fato de galieus serem de origem rural e terem seus sotaques peculiares estivessem falando em outras linguas estrangeiras, e falando para povos em seu proprio indioma das grandezas de Deus e do messias prometido.

2° A Multiforme ação do Espírito Santo.

O Espirito Santo veio sobre os 120 perseverantes, de forma tão poderosa que os defora ficavam atonitos e dizendo que eles estavam embriagados (At 1:13). Porém a 1°hora para o judeu começava a 6 da manhã , isto faz enterder que este acontecimento estava se realizando sobre as vidas dos 120 ali reunidos estivesse acontecendo entre as 9 ou 10 horas da manhã, como era costume os judeus jejuarem nos dias de festa até pelo menos a 4° hora, então a embiaguez era pouco provavel. Era o poder o Espirito Santo mesmo testificando a Jesus Cristo ressureto!

2.1 Um rio para todos

Quando Jesus junto a fonte de Jacó com a samaritana, Lhe oferece uma água que jámais ela tornaria a ter sede, ele está falando do gozo que ele proporciona ao convertido, este gozo inesgotavel de testemunhar da maravilha de ser salvo, é o gozo que os apóstolos em (Jo 7:37-39) entenderam que “do seu interior fluirão rios de água viva” que corre de dentro de quem recebe o batismo no Espirito Santo essa vontade é inesgotavel de testemunhar e anunciar a maravilhosa salvação em Cristo.

3° Jesus e o Espirito Santo, uma poderosa parceria.

Jesus afirma em em (Lc 4:18-19) que o Espirito Santo está sobre Ele, nos dando a entender uma parceria poderosa, poder este com segue os vercículos abaixo.
“O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, a pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do SENHOR”.

Jesus está citando (Is 61:1), afirmando que o Espirito do Senhor estava sobre ele, que ele era o messias prometido e era ungido para pregar as boas novas aos pobres e aos nescessitados, restarar os contritos de coração dar liberdade aos cativos e a abertura da prisão aos que estavão presos em trevas aguardando a salvação através do messias, ELE ERA A ESPERANÇA, ELE ERA A LUZ QUE ESTAVA FALTANDO, o momento tinha chegado como o Senhor tinha prometido e falado aos profetas.

3.1 O Poder que Procede do Espirito é Vivo e Transformador

Portanto não existe avivamento sem atuação do Espírito Santo, quando o avivamento vem sobre a igreja de Deus ele vem sobre a operação direta do Espirito Santo, nós não conseguimos realizar um avivamento por conta prória, ele sempre veio e sempre virá pela atuação do Espirito Santo, se um avivamento vier por atuação própria ele é fogo estranho, vemos em “(At 2:4) Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem”.

4° Ele é o Consolador (PARÁKLETOS)

A um paralelismo entre Jesus e o “outro parákletos”, sugerindo que Este representa o “retorno” de Jesus para os Seus discípulos, a fim de permanecer com eles, conforme havia prometido. O parákletos é o verdadeiro elo entre a Igreja e Jesus desde o Pentecostes até a “consumação do século”.
O parákletos testemunhará de Jesus (Jo 15:26). Ele tornará evidente o erro do mundo acerca do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16:8-11), isto nos da idéia de ajudador deles em relação ao mundo.
Quando o apostolo Paulo fala nos versículos abaixo, ele justamente está falando dessa ajuda que está à disposição do salvo em Cristo, uma ajuda descrita de forma que precisamos da ajuda incontestável do Espírito Santo, pois o salvo não esta só aparte dele sem a Sua ajuda, ele mesmo confortou seus discípulos em (Jo 14:16) acerca deste consolador e que eles não a sós por muito tempo.
Romanos 8:26-27 “Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis.E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos”.

Conclusão

Estes foram os sinais externos e visíveis que Lucas usa a expressão ficaram cheios para descrever a experiência do derramamento do Espírito Santo e Atos capitulo 2, um revestimento inicial para capacitá-las para o serviço de Deus, o Espírito Santo os capacitou a falarem noutras línguas, línguas estas, humanas conforme O concedia que falassem, não línguas inteligíveis como alguns sugerem, os versículos 6, 8 e 11 diz na sua própria língua materna das nações ali representadas.

Sola Fide, Sola Scriptura, Solus Christus, Sola Gratia, Soli Deo Gloria.

Bibliografia

Série Cultura Bíblica – Atos Introdução e comentário – Edições Vida Nova; São Paulo, 1° edição 1982
Revista de Escola Dominical – Editora Betel; Rio de Janeiro, 1° Trimestre de 2011
Bíblia de Estudo de Genebra – Editora Cultura Cristã; São Paulo, 1999
Bíblia Revista e Atualizada – Versão On Line; http://www.biblianet.com.br/, acesso em 25/01/11
Bíblia Almeida Revista Corrigida Fiel – SBTB; São Paulo, 1995